quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Canionismo/Resgate (II): Detalhes do salvamento em Maquiné/RS

Foto Adriana Franciosi - Jornal Zero Hora. Veja o detalhe do helicóptero no canto superior esquerdo da imagem.
Recebo diretamente da Tatiana Bressel (34), canionista que ministrou os primeiros socorros a Juliano Romancini, o relato direto sobre o ocorrido no acidente em Maquiné/RS, cuja notícia postei aqui Terra Australis no último dia 15 (veja AQUI).

O canionista não poderia estar melhor acompanhado em uma situação de emergência. A Tati, além de canionista internacionalmente reconhecida, foi escolhida atleta do ano em atividades junto à natureza pela revista SulSports (veja o post http://terra-australis-br.blogspot.com/2009/12/canionismo-tatiana-bressel-e-atleta-do.html) e é credenciada pela NOLS para prestar primeiros socorros em áreas remotas (também em http://terra-australis-br.blogspot.com/2009/12/primeiros-socorros-em-areas-remotas.html).

Sorte do Juliano? Não! Isto é resultado do investimento responsável em conhecimento técnico e prevenção de acidentes, além da escolha das companhias corretas para a atividade que estava sendo praticada quando ocorreu a fatalidade do deslizamento de pedras sobre ele.

Como disse no post anterior, sorte = preparação + oportunidade...

Conforme a Tati, os médicos do hospital de Porto Alegre registraram que se não fosse os primeiros socorros adequados que Juliano recebeu no interior do cânion, ele não teria sobrevivido à noite que passou lá.

De acordo com o site Piloto Policial sobre notícias da aviação de segurança pública, a equipe de resgate aéreo decidiu pousar o helicóptero MD500E em uma elevação próxima ao canion e montar um ponto de operação nas coordenadas 050º 20′ 20″ W – 29º 30′ 23″ S

Após desceram três tripulantes, com uma maca rígida, do Grupo de Busca e Salvamento dos Bombeiros até a base da cachoeira onde estava o acidentado e os canionistas que lhe prestavam atendimento de primeiros socorros desde o dia anterior. Devido ao estado crítico do paciente politraumatizado não puderam fazer a sua locomoção até o ponto de desembarque.

Com isso, retiraram a vítima de uma clareira valendo-se de mais de 150 metros de cabo com o apoio do helicóptero (a imprensa equivocadamente informou serem 300 metros) - Veja no início deste post a imagem do helicóptero e o enorme cabo suspenso sob ele para a suspensão da maca rígida.

Ainda segundo o relato no site, depois de uma análise pela tripulação, decidiram executar o salvamento realizando quatro descidas de 80 metros de cabo, sendo: 3 tripulantes e uma maca rígida de frente para a cachoeira; uma retirada de vítima com mais de 150 metros de cabo no meio do cânion e quatro retiradas, operando com 100 metros de cabo da base da cachoeira, sendo o último mac-guire com dois tripulantes juntos, pois as condições meteorológicas eram adversas.

A operação do helicóptero iniciou às 06:30 e encerrou às 15:30 horas, com 4.6 horas de vôo.

EQUIPE DA MISSÃO:1) Piloto: Maj QOEM Franck;2) Co-piloto: Cap QOEM Matteo;3) CO: 1 SGT Albanus;4) Tripulantes: Sd Rodrigues, Sd Fernando, Sd Edis.5) Equipe de Solo: 3 Sgt Ezequiel, 3 Sgt Borges, 3 Sgt Vladimir, Sd Joel e Sd Mayer.


Rafael Britto, canionista da Associação Cânions da Serra Geral - ACASERGE que participou do resgate e o helicóptero MD 530E do GPMA. Foto Adriana Franciosi - Jornal Zero Hora

“No sábado dia 13 de fevereiro de 2010, um grupo de 15 praticantes de canionismo dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo se reuniu em Barra do Ouro, Município de Maquiné, Estado do Rio Grande do Sul.

Todos os componentes do grupo são praticantes de canionismo qualificados e experientes, muitos com mais de 10 anos de prática. Além disso, o grupo estava equipado com todos os equipamentos técnicos necessários para a prática segura da atividade.

Este grupo maior se dividiu em 3 grupos menores. Dois destes grupos menores entraram em cânions diferentes e o terceiro deles ficou de apoio, com materiais técnicos e rádio para manter contato com os grupos que estavam nos cânions.

O grupo integrado por Juliano contava com mais 4 pessoas.

O grupo desceu uma primeira cachoeira, utilizando a técnica de rapel, seguiu o curso do rio, desceu uma segunda cachoeira e continuou seguindo o leito do rio.

Eram cerca de 17h30m, quando Juliano sofreu o acidente, ao tentar subir num bloco de pedra. O bloco se desprendeu e rolou sobre ele, derrubando-o e atingindo-o na região do quadril.

O grupo tomou providências para manter Juliano acordado, imobilizado, aquecido e o mais confortável possível, comunicando a equipe de apoio do ocorrido e da necessidade de Juliano ser retirado com maca, o mais brevemente possível. O grupo decidiu, ainda, que dois de seus integrantes concluiriam a travessia do cânion, para levar maiores informações para os encarregados pelo resgate.

Fora do cânion, a equipe de apoio acionou o Corpo de Bombeiros e a Brigada Militar, passando, a partir de então, a colaborar com o resgate.

No início da manhã, chegaram os bombeiros com o helicóptero, viaturas e um avião. O helicóptero sobrevoou o cânion e avistou Juliano e o restante do grupo que havia ficado com ele. Juliano foi retirado de dentro do cânion, pelo helicóptero, por volta do meio dia.

Juliano foi encaminhado para o hospital Santa Luzia em Capão da Canoa e posteriormente transferido para o hospital Mãe de Deus em Porto Alegre.

Esperamos a pronta recuperação de Juliano e nos solidarizamos como os familiares.

Por fim, agradecemos sinceramente a todos que participaram ou auxiliaram no resgate, permitindo que ele fosse bem sucedido e que Juliano pudesse ser retirado do cânion e receber os cuidados necessários, em especial ao Corpo de Bombeiros e à Brigada Militar, ao SAMU, aos médicos que atenderam e estão atendendo Juliano e à reportagem da Zero Hora.

Tatiana Bressel - Canionista"
___

SAIBA MAIS AQUI NO TERRA AUSTRALIS:

- 15/02/2010: (I) Relato de um acidente em Maquiné/RS

- 01/12/2011: Canionimo - Discovery Channel poderá reconstituir resgate no Rio Grande do Sul



Nenhum comentário:

Postar um comentário