segunda-feira, 20 de abril de 2009

Pensando Direito, Violência e Afeto (o legado Guarani sob a lente da palavra)

Depois do meu último post, por grande coincidência em função do tema, recebo do do meu amigo Paulo Leal, direto de Santo Ângelo das Missões, o convite e o pedido para divulgação pública do seminário abaixo.

Então segue:

"PENSANDO DIREITO VIOLÊNCIA E AFETO(o legado Guarani sob a lente da palavra)

Os Mbyá-guarani, que habitam as Missões, são tão diferentes de tudo o que conhecemos que apenas tentar entendê-los já é uma tarefa mais do que complexa.
Para eles, não apenas os humanos, mas todos os seres são dotados de espírito. Isso os leva a ter um relacionamento com a natureza muito mais respeitoso que o nosso, pois não tentam submetê-la.
A religiosidade é o principal elemento que os une e as casas de reza são construídas de forma a fazer com que todos fiquem o mais próximo possível uns dos outros. Suas preces não são para pedir vida eterna ou milagres, nem para não ficarem doentes, pois sabem que isso é impossível, mas que a doença, quando vier, não seja grave.
Quando alguém morre, o que havia de bom vai imediatamente para junto a Deus. Eles rezam, então, para afastar, do meio deles, tudo o que ficou de ruim daquele que morreu.
Os Mbyá-guarani não falam de si nem do outro e são tão transparentes que parece impossível vê-los dissimulando alegria ou tristeza. Eles vivem o hoje. O amanhã é algo que está fora dos domínios humanos e, portanto, impossível de ser controlado.
Embora muito pobres - alguns morando em beira de estradas - não são violentos e a docilidade desse povo chega a ser surpreendente. Eles jamais alteram a voz com os outros e a terra está presente no corpo, com a qual estão completamente integrados.
Eles têm também uma forma diferente de educar os filhos: jamais os agridem com palavras ou atos e a relação com as crianças é de tal forma afetuosa que elas não engatinham e somente saem do colo quando estão em condições de andar no mundo pelas próprias pernas.
Os Mbyá-guarani demonstram a existência de outros projetos humanos no planeta que temos o dever de conhecer, se não para mudarmos, ao menos para aprender a respeitá-los!
Com essas considerações preparatórias ao debate, com muito orgulho, o Grupo de Estudos Sebo Café promove “três anos de reflexões em debate”, objetivando inventariar o acúmulo teórico do grupo, através da investigação do legado e da inteligência (sistema de impressões e juízos) Mbyá-guarani, com a temática “Pensando direito violência e afeto”.

Local: Instituto Cenecista de Ensino Superior de Santo Ângelo
Data: 15 de maio Hora: 19h34min - Participação especial de Bartomeu Melià
Apoio: IESA – OAB/RS – AJURIS – AMATRA IV - PREFEITURA DE SANTO ÂNGELO"

Nenhum comentário:

Postar um comentário