terça-feira, 23 de abril de 2013

Cone Sul: Exposição "12 Mil Anos de História - Arqueologia e Pré-história do Rio Grande do Sul"

Fonte: Museu da UFRGS

Para quem gosta de história e arqueologia, e eu me incluso nesta lista, segue a notícia de abertura de uma exposição sobre a arqueologia e a pré-história no sul do Brasil organizada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, enfocando a ocupação humana antes da chegada dos colonizadores europeus na região.


A ocupação humana do território hoje definido pelo Estado do Rio Grande do Sul iniciou há cerca de 11 mil anos com a chegada de grupos de caçadores-coletores vindos do norte, seguida por uma segunda onda migratória há dois mil anos, composta por índios guaranis oriundos da Amazônia.

Sendo um povo mais forte e mais organizado, submeteram praticamente todos os antigos habitantes, introduzindo também a agricultura e aperfeiçoando a cerâmica.

Quando o Brasil foi "descoberto", em 1500, quase todos os índios do Estado, que somavam de 100 mil a 150 mil na estimativa dos estudiosos, já eram guaranis ou estavam misturados a eles e habitavam a região há pelo menos 11.500 anos da chegada dos europeus.

A exposição é pequena em tamanho mas interessantíssima em conteúdo, destacando as descobertas arqueológicas como fio condutor da pré-história gaúcha.

Belas peças líticas podem ser vistas, assim como grandes ilustrações sobre o modo do vida dos primeiros habitantes do sul do país. Uma impressionante escultura (zoólito) de um tubarão é para mim um dos destaques da mostra e foi encontrada no litoral do Rio Grande do Sul, na região de Capão da Canoa.





Toda esta saga pode ser conferida na exposição 12 Mil Anos de História: Arqueologia e Pré-história do Rio Grande do Sul aberta para visitação até o dia 14/03/2014 no Museu da UFRGS, situado na Av.  Oswaldo Aranha, 277, no Campus Central da universidade, em Porto Alegre/RS.

A entrada é gratuita e o horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 18h00, bem como no último sábado de cada mês das 9h00 às 13h00.

O evento possui apoio da Sociedade Brasileira de Arqueologia, do Ministério da Cultura e do Instituto Histórico e Artístico Nacional, e patrocínio da Petrobrás.

Segue a notícia publicada no Jornal Zero Hora de hoje:


* - * - * - * - * - *


Zero Hora - Porto Alegre - 23 de abril de 2013 | N° 17411
Museu da UFRGS mostra pré-história

O Museu da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e o Núcleo de Pesquisa Arqueológica (NuPArq) do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas promovem a exposição 12 Mil Anos de História: Arqueologia e Pré-história do Rio Grande do Sul.

Inaugurada ontem, a exposição segue até 14 de março do ano que vem.

Inspirada no ofício do arqueólogo, a mostra apresentará a História pré-colonial do Rio Grande do Sul, que pode ser contada por meio das sucessivas migrações humanas para o nosso território, das relações destes migrantes com os grupos já existentes, dos novos padrões culturais adotados como respostas adaptativas aos diversos ambientes.

Com o objetivo de aproximar o público do ofício do arqueólogo e do patrimônio arqueológico, bem como proporcionar uma maior aproximação com noções de preservação, o museu oferecerá oficinas, visitas mediadas, cursos para professores da rede pública, entre outras atividades.

Interessados podem agendar visitas de grupos, mediadas por alunos de diferentes cursos de graduação da UFRGS. Com curadoria de Silvia Copé, doutora em pré-história e coordenadora técnica do NuPArq, o evento tem apoio da Sociedade Brasileira de Arqueologia, do Ministério da Cultura e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e patrocínio da Petrobras.

Exposição conta objetos como pontas de flecha

A exposição ilustra as ondas migratórias que ajudaram a formar a população do Rio Grande do Sul. São recriados ambientes que mostram como viviam os grupos em casas subterrâneas na Serra, em sambaquis no Litoral, em cavernas próximas do Rio Ibicuí e em casas dos homens do Planalto das Araucárias.

Também são expostas pontas de flecha, boleadeiras, machados e instrumentos de caça diversos, urnas e vasos de cerâmica e zoólitos (pedras com representação de animais).


Nenhum comentário:

Postar um comentário