terça-feira, 2 de abril de 2013

Off-Road: Como escolher um veículo 4x4?


Saudoso Toyota Bandeirante...







Há 16 anos que venho utilizando exclusivamente veículos 4x4 no meu dia-a-dia, seja na vida profissional ou pessoal, na cidade ou fora dela, sozinho, com amigos ou com a família que veio com o tempo.

O primeiro deles foi um pequeno Suzuki Samurai, que veio no rastro de um antigo sonho de desbravar caminhos onde meu automóvel "normal" não chegava, trazendo independência e novos horizontes num mundo até então limitado aos caminhos convencionalmente transitáveis.

A partir daí foi paixão à primeira vista com o mundo 4x4, ou melhor, paixão à primeira viagem.

Além da experiência trazida com a prática, fui atrás de conhecimentos básico de pilotagem fora de estrada e de mecânica, diferenças entre os motores à diesel e à gasolina, mapas, gps, faróis, pneus, uso de guinchos, macacos, ferramentas, bagageiros e uma parafernália interminável que atrai como um ímã os aficcionados de expedições e atividades off road.

Meu primeiro 4x4: Suzuki Samurai
Ao minúsculo Samurai seguiram-se um Toyota Bandeirante (o meu preferido até hoje), um Land Rover Defender, um Toyota Hilux e, por último, um Mitsubishi Pajero.

Depois deste tempo todo cheguei à conclusão de que o tipo de 4x4 que você deve adquirir e, eventualmente equipar, depende exclusivamente do perfil de uso, sob pena de se desperdiçar uma pequena fortuna que não será recuperada no momento da venda do veículo.

Atualmente estou na fase mais amadurecida do "menos é mais". Escolhi um automóvel com perfil de uso misto cidade/fora de estrada e meus investimentos se limitaram a um bom jogo de pneus, elevar a suspensão dentro do limite permitido pela fábrica, GPS, cinta de reboque, macaco hidráulico e um bom jogo de ferramentas. Menos incomodação, menos investimento sem retorno, mesmo lamentos na hora de revender o veículo. Ponto final. O resto fica por conta da habilidade e o jogo de cintura (ou falta de) do motorista.

Assim, pergunte-se primeiro:

- Quem e quantas pessoas vão utilizar o carro?
- Será meu único veículo?
- Por quanto tempo quero ficar com ele?
- O uso será urbano, misto ou 4x4?
- Viagens convencionais, expedições ou trilhas off road?
- Quanto custa a manutenção?
- Pretendo recuperar meu investimento no momento de me desfazer do veículo?
- Existe seguro para o meu carro? Se existir, o prêmio cobrirá o custo do meu investimento?
- Quero conforto ou sou desapegado de luxos como isolamento acústico, banco de couro e ar condicionado?          

Comecei cedo no mundo 4x4...
Sobre o que deve ser considerado por alguém que pretende comprar um veículo off road meu amigo Fabio Rosa, com 11 anos de atuação profissional no mundo 4x4, escreveu um pequeno artigo com excelentes dicas de quem tem muita experiência no mercado e já passou pelos mais diferentes erros e acertos.

Com a autorização dele me permito transcrever aqui para vocês.

Bom proveito!


* _ * _ * _ *


Escolhendo seu 4x 4

Por Fabio Niemezewski da Rosa*

Uma das coisas que muita gente ao entrar no mundo 4x4 não sabe é exatamente o que quer fazer com o seu 4x4. Já cansei de escutar aqueles que vem e dizem que querem só coisa leve, passeio de estradas de terra, para não estragar o carro, etc... e quando a gente vê, já estão com a camionete levantada, pneus grandes, proteções, guincho, e só querem saber de muita adrenalina.

Claro, não é regra. Mas a regra é que ao ingressar no mundo dos 4x4, nunca sabemos ao certo até onde queremos ir, que tipo de terreno iremos gostar, e que tipo de trilha será a nossa preferida.
Uma das maiores frustrações que identifico é que as pessoas compram um veiculo baseado na aparência dele, sem se preocupar com o que pretendem fazer e consequentemente com a facilidade ou não da preparação do veiculo.


Tem muitos 4x4 aí no mercado que não dispõe de muitos acessórios para preparação, e as vezes uma simples troca de pneu pode ser um dor de cabeça muito grande.


A maioria começa na escolha do veiculo. Após, participa de uma ou outra aventura, e já identifica problemas a serem corrigidos. Mas, não são problemas, e sim deficiências de um veiculo para aquela situação ao qual o mesmo esta sendo submetido. Normalmente a primeira é a questão da altura do mesmo. Vai a camionete para a oficina para levantar um pouco, normalmente uns 5 cm já da uma diferença considerável.


Depois, aparece a questão dos pneus. Pneus maiores, com desenho fora de estrada. Mas ai vem ou podem vir os problemas. A grande maioria dos pneus disponíveis são aro 15 ou 16. Mas tem muito 4x4 com aro 17 ou aro 18. E agora? Os MT com aro 17 são grandes, e não cabem. Trocar as rodas? Ih, a brincadeira esta ficando cara ja de partida.


Mas, se você investiu no veiculo, o que é levantar e trocar as rodas e pneus? Um valor bem menor e que deverá proporcionar um monte de alegrias a mais.


Com certeza, se a maioria conseguisse parar por ai, estava bom. Mas um dos problemas do fora de estrada, é que na primeira vez que você desce um cordão de calçada, acha o máximo. Na quinta vez, não tem mais graça. Assim, procura obstáculos maiores. E quando estes não tem graça, pois não dão mais aquela adrenalina, maiores ainda.

Foto João Paulo Lucena

Mas o veiculo não cresceu como a expectativa do proprietário. Ele se deu conta de que precisa proteger as partes mecânicas, as laterais, a tomada de ar. E pode-se chegar a conclusão de que não existe nada pronto para o seu 4x4. E vem mais uma dor de cabeça, fazer acessórios sobre medida. Ou, pior, comprar prontos e serem muito ruins, fracos, pois para alguns veículos, o que existe por ai é meramente estético.


Você então já gastou um monte com suspensão, rodas, pneus, proteções, estribos, "snorkel", e agora o que mais? Depois de uns meses, vê que o para-choque original ja era. Quebrou pela quinta vez e agora não tem mais conserto. E dai tem que colocar um de ferro. Se tem modelos prontos, ótimo, mas e se não? Tem que fazer especial. Pode sair caro. Depois do para-choque, bom, vem o guincho.


E assim a conta vai crescendo. E é muito comum quando você vê e soma tudo, a conta passar do valor do carro... Pode parecer estranho para aqueles que não somam o que gastam com o seu 4x4, mas é muito comum a pessoa pegar, preferir comprar por exemplo um Suzuki Vitara original, pagar R$ 20 mil, e depois gastar mais de R$ 25 mil em preparações para ele. Eu já passei por isso. E depois, você não consegue vende-lo por R$ 22.000. Será que na época da compra não seria melhor ter pego um já pronto por R$ 22.000? Muita gente pensa que um carro preparado, de trilha, é muito pior que um original. Mas não é a realidade de muitos. Conheço muitos proprietários que cuidam tanto de suas maquinas que mesmo após 8 anos de trilhas o carro é mais inteiro que um saído da concessionaria.


Então, aquele mito de que carro preparado é tudo carro judiado, com inúmeros problemas, etc... realmente não passa de mito. Tem muita gente preparando veiculo fora de estrada para fazer uma ou outra aventura em estradas de terra e ter um carro bonito, chamativo, com cara de aventura. Obvio que tem outros casos que são carros que não tem a manutenção devida e são uma bomba relógio. E tem veículos originais piores que qualquer outra coisa.

Um 4x4 pode abrir grandes horizontes no seu mundo conhecido.

Mas o que fazer então? Sempre na hora da compra se aconselhar com um bom mecânico, ou com mais de um. Não tem problema. A maioria não se importa de olhar o veiculo usado e fazer um orçamento de tudo que é visível. O problema claro são as coisas escondidas. Mas... melhor ja se ter uma noção. E o mesmo mecânico ja pode fazer uma avaliação de quanto sairá para preparar o 4x4 ou do que vale a preparação que ele  tem.
Fica aqui uma dica de que quase nunca a nossa preparação sairá de cara melhor que uma já instalada em um veiculo. Quando começamos a reinventar a roda, passaremos por uma fase de ajustes, erros, problemas, até dar tudo certo. E as vezes um jipe pronto já passou por isso e te poupará tempo e dinheiro.


Já preparei muito jipe, meu e de outros. E hoje dou muito mais valor ao jipe que menos preciso preparar. Quanto mais você tiver que mexer para ele ficar como você deseja, mais problemas terá. Como diria um participante ativo de fóruns na internet muito conhecido nacionalmente: "Não tem almoço grátis". Isto se refere a tudo que você fizer, terá um efeito negativo em algum local. Não existe 100% ganho. Isto é uma ilusão. Se você levantar o carro, ganhará altura e desempenho fora de estrada. Mas vai perder em estabilidade, vai perder em durabilidade das buchas da suspensão, dos amortecedores, das cruzetas dos cardãs  do estriado do cardã ou da rabeta da caixa de transferência, e outros detalhes. Se você colocar pneus maiores, vai ganhar desempenho fora de estrada, talvez conforto, mas vai perder em durabilidade de rolamentos de roda, conforme o tamanho em durabilidade de todo o trem de transmissão, aumentar o consumo, "perda" de potencia, etc... 

Já dormiu dentro do carro? Eu já, numa Hilux
com muitas histórias para contar...
Foto: João Paulo Lucena

Tudo que se mexer, terá um ganho, e muitas perdas. E quando você vê, gastou um monte, e o jipe esta instável, quebrando outras coisas, e não te da confiança. E isto é bem comum...


O que quero dizer aqui, não é não prepare o seu jipe, não gaste dinheiro, etc... Não. Não se trata disso. Se trata de alertar para que aqueles que nunca prepararam um jipe, não se enganem que só tem ganhos e um dia estarão com o melhor jipe do mundo. Isto não existe. Você ganha de um lado, e perde de inúmeros outros. Sempre. Um jipe para "rockcrawling", será péssimo para viajar.


Portanto, sempre pensem bem antes de sair investindo na emoção no 4x4. As vezes trocar de 4x4 é a melhor saída. Não quero citar marcas para comparar veículos, mas pegar uma camionete de luxo querendo deixa-la igual a outros jipes preparados para encarar obstáculos fora de estrada pode não ser a decisão mais inteligente. Ao prepara-la, ela perderá muito do seu conforto, segurança, e principalmente confiabilidade.





* Fabio Niemezewski da Rosa é Sócio da empresa Rotas e Trilhas e há 11 anos ministra cursos de off-road e organiza atividades fora de estrada, expedições e ralis 4×4 no Brasil e no exterior.

Um comentário:

  1. Paulo meu amigo, diria até meu grande amigo, senão um dos maiores amigos, não de tamanho e sim de pessoa como és (hehehe), gostei demais da tua introdução do assunto 4x4, pertinente pra mim inclusive, e aqui estou sedento por mais informação. Diga-me, terão outros episódios, capítulos, páginas, linhas, ou qualquer outra dose homeopática sobre o tema? Fico aqui no aguardo da continuação desse teu relato, consistente, maduro, de muita experiência por sinal, na expectativa de agregar conhecimento às minhas aventuras de off-road. abração. James Grott

    ResponderExcluir