sexta-feira, 11 de março de 2011

Lugarzinhos: Cozinha húngara, um sabor de páprica no Vale do Caí



Aquele que lê "A Canga" escrito na placa logo pensa em um restaurante de comida típica gaúcha ou em uma churrascaria.


Ledo engano, pois assim que ultrapassar a porta simples deste tradicionalíssimo local de São Sebastião do Caí/RS, a 60 Km de Porto Alegre, terá uma agradável surpresa. A pintura das paredes com detalhes na cor da bandeira húngara, as mesas em estilo simples e a decoração sóbria remetem a um clima de leste europeu e são exatamente iguais à primeira vez em que estive ali, com meus pais e ainda garoto, no final dos anos 70.

São Sebastião do Caí/RS. Mapa: Wikipedia
 Os primeiros húngaros chegaram no Brasil por volta de 1890. De origem camponesa, instalaram-se no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Com a I e a II Guerras Mundiais novos imigrantes chegaram e, por último, um pequeno contingente refugiado da invasão russa da Hungria em 1956.

Foi esta última leva que trouxe ao Rio Grande do Sul o casal Erzsebet e Karoly Cuitko chegaram, os quais abriram o restaurante em 1967. Conta a história familiar que para atrair os primeiros fregueses foi oferecido também um serviço de bar e que, aos poucos, o exótico sabor dos seus pratos foi atraindo uma crescente e fiel freguesia, valendo-se da divulgação boca-a-boca.


Hoje, passados 44 anos desde a sua fundação, o restaurante ainda mantém o mesmíssimo espírito original, o atendimento personalizado e, principalmente, a qualidade da sua cozinha.

O nome "A Canga" foi dado pelo fundador quando chegou no Rio Grande do Sul achou os CTG´s (Centros de Tradições Gaúchas) parecidos com os restaurantes de beira de estrada da Hungria. Quando viu um com uma canga pendurada na frente, pronto, ali estava um  nome que os brasileiros poderiam pronunciar...

As instalações internas foram recentemente renovadas e ampliadas, cervejas artesanais foram incluídas no cardápio e um pequeno televisor de tela plana dá ao local um certo ar de modernidade, mostrando cenas típicas da Hungria e alguns divertidos comerciais daquele país relativos aos produtos oferecidos na casa.



O Sr. Karoly faleceu em 2008 e hoje é seu filho Carlos José Cvitko quem chefia a cozinha. O neto Carlos Felipe - responsável pelo chegada das modernas tecnologias - é quem atende os clientes, contando ambos com o auxílio do restante da família.

Carlos José e o filho Carlos Felipe Cuitko mantém com a família o único
restaurante de cozinha húngara ao sul de São Paulo.
Na última vez que estive ali Carlos Felipe contou que os vídeos húngaros que divertem os clientes foram baixados por ele do YouTube e que, sozinho, montou o DVD utilizado no restaurante. Sinal dos tempos!

"A Canga" tem um menú fixo e, desde que me lembro, sempre foi assim. Por certo esta extrema especialização é a responsável pela qualidade do seus pratos, onde a páprica predomina como tempero tradicional e a receita de um adocicado molho de tomate, a grande atração do restaurante, é guardada a sete chaves pela família Cuitko.

A sequência de pratos servida começa com aprolék leves, uma saborosa e delicada sopa de massa caseira e múdos de galinha acompanhada com pão.


Em seguida vem o carro chefe - tölttöt paprika - pimentões verdes recheados com uma massa feita de arroz e guisado, mergulhados em um espesso molho de tomate e páprica doce, tudo acompanhado por ránttot csirke, um crocantíssimo franco à milanesa com batatas fritas cortadas em fatias grandes.


A sobremesa que fecha a refeição é o fagylalt, um sorvete caseiro de baunilha e chocolate servido sobre uma pequena porção de torta de chocolate.


Os pratos são fartos, a cerveja é gelada, há sucos integrais, não há cobrança da taxa de serviço de 10%. A clientela é fiel e, como o me próprio caso, ultrapassa gerações... Enfim, tudo de bom para quem está procurando fugir do trivial com uma cozinha honesta, exótica e saborosa.

Entre os seus apreciadores "A Canga" também é conhecido como o "Húngaro" ou, por motivos óbvios, como o "Pimentão".

Nos últimos anos a família Cuitko tem organizado o Festival de Gastronomia Húngara, uma noite onde são servidos diversos outros pratos da cozinha magiar a um preço fixo de R$ 40,00 e mediante reserva prévia, sendo que o próximo, no dia 08 de abril de 2011 às 20h00, contará com música típica ao vivo ao som de violistas e um acordeonista.

No cardápio, além do menú tradicional, serão servidos também foghagimaleves (sopa de alho cremosa), paradicsomleves (sopa de tomate com massa caseira), székely gulyás (carne cortada em cubos ao molho de páprica com repolho levedado), töltött káposta (repolho levedado recheado com carne moída e arroz ao molho de páprica), fasirt (bolinhos de carne fritos), dissznópecsenye (lompinho suíno assado no forno), gombapaprikás (cogumelos ao molho de páprica), nokedli (massa caseira tipo nhoque), sültburgonya (batatas fritas), uborkasaláta (salada de pepino com nata e páprica).

De sobremesa mandulás kalács (doce de amêndoas), fagylalt (sorvetes caseiros de diversos sabores) e csokitorta (torta de chocolate).

E você está esperando o que??

Na data desta postagem os pratos estavam sendo servidos conforme as seguintes modalidades:

Menú completo (com reposição dos pratos à vontade): R$ 25,00 por pessoa
Menú executivo (porção servida de pimentões, frango e batatas): R$ 15,00 por pessoa
Porção avulsa de sopa: R$ 5,00

Horário: Aberto todos os dias. De segunda a sexta somente para o almoço.

Endereço:

Restaurante A Canga
RS 129, Km 9 - Conceição
(passando o pedágio de Portão, para quem vai em direção à serra, são 9 km à esquerda)
São Sebastião do Caí
Rio Grande do Sul - CEP 95760-000
Telefone: (51) 3536-1461
Saite: não tem


2 comentários:

  1. Excelente sua postagem, João Paulo, Tão Bom como a comida do A Canga!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado! É uma satisfação poder divulgar lugares que realmente o merecem, como é o caso de A Canga!

      Excluir