sábado, 30 de outubro de 2010

Viagem: As Aventuras de Egon no Irã - 13. Na formidável Petra (Jordânia)

 "13. Egon na formidável Petra (Jordânia)

Você vai caminhando por um longo cânion chamado Siq e que, em alguns momentos, fica talvez com apenas 1 metro de largura espremido entre paredões de mais de 200m de altura. Não pode ter claustrofobia!

Mas, após cerca de meia hora caminhando, você vê, através da fresta dos paredões, um pedaço do portal Al-Khazneh (localmente conhecido por "Tesouro"). É impossível conter o "hoh!!!"! É uma sensação muito incrível emergir do Siq e, nesta clareira, dar de cara com este monumento de 43m de altura escavado na rocha. Não poderia haver melhor imagem para relembrar Petra para sempre: impressionante...

Foto: Egon Filter

Foto: Egon Filter

Foto: Egon Filter

Esculpido no ano 100 AC pelos Nabataeus, o Tesouro tem influências gregas, egípcias e romanas, não se sabe bem se era um templo ou uma tumba. Dizem que um faraó egípcio, enquanto perseguia os israelitas, escondeu um tesouro real nesta contrução (é por isso que tem furos de bala feitos pelos beduínos que queriam achá-lo...).

Foto: Egon Filter

Foto: Egon Filter

Foto: Egon Filter

Foto: Egon Filter

Aliás, os Nabataeus foram os precursores dos beduínos: com sua capital em Petra, eles enriqueceram com o comércio de incenso vindo do Yemen via Arábia, primeiro atacando e saqueando as caravanas e, mais tarde, cobrando tributos pela proteção durante a sua passagem por seu território... Hoje os beduínos locais dentro das ruínas desta antiga capital oferecem serviços de guias, vendem lembranças ou alugam "taxi com ar-condicionado" (o que aqui, em um calor caminhante forte, significa carona no camelo ou na mula...) e, a partir dos anos 80, passaram gradualmente a habitar uma vila com casas próxima das ruínas de Petra.

Uma das maiores surpresas aqui em Petra foi conhecer Marguerite van Geldermalsen, uma mochileira neozelandesa que casou com um beduíno local em 1978. Se converteu ao Islã e viveu com Mohammed em uma caverna aqui, junto à tribo Bdoul ? foram felizes e tiveram 3 filhos. Ela escreveu um livro chamado "Casada com um Beduíno", best seller entre os viajantes românticos (que a Lu trouxe autografado): uma história real, com as alegrias e dificuldades deste choque cultural. Hoje viúva, é a simpatia em pessoa, uma grande alma que jamais esqueceremos...

Salaam alaykum (que a paz esteja com você, em árabe),

Egon
www.egonf.com "

* - * - * - * - *

(*) EGON FILTER é fotógrafo e correspondente exclusivo do Terra Australis. Tem suas imagens disponibilizados no site Images do Share.

Nenhum comentário:

Postar um comentário