quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Cinema: Câmera de filmar x Câmera fotográfica. As novas tecnologias em longa-metragem de Carlos Gerbase

Fazendo cinema com uma câmera fotográfica Canon EOS 5D: Fonte: Menos que Nada

O cineasta gaúcho Carlos Gerbase está gravando o seu próximo longa-metragem "Menos que Nada" inteiramente com os recursos de vídeo de uma câmera fotográfica Canon EOS 5D Mk II.

Nos últimos tempos a qualidade de vídeo alcançada por algumas câmeras fotográficas, especialmente as da marca Canon que adiantou-se tremendamente em relação à concorrência, vem possibilitando a realização de comerciais, curtas e longa-metragens com um custo muito menor do que com o uso do equipamento tradicional.

É claro que alguns acessórios mas para Gerbase o equipamento é "mais leve e financeiramente atraente", além do que, se fosse filmar em 16 ou 35 mm ainda teria o custo da revelação.

Carlos Gerbase
Se no passado se alegava a impossibilidade da fotografia digital atingir a mesma qualidade da fotografia analógica com seus negativos e cromos, pelo visto isto já está superado, em especial quando o o próprio cinema passa a se valer do vídeo digital como suporte de mídia.

São várias as mudanças no método tradicional.

Além da produção de cinema diretamente em imagens digitais e do uso de um câmera fotográfica ao invés de uma filmadora ou câmera cinematográfica, para seu camera-man Gerbase convocou um fotógrafo, Marcelo Nunes, conhecido publicitário do mercado de videoclipes e curta-metragens.

No elenco Felipe Kannenberg e Maria Manoela.
Fonte: Menos que Nada
Acham que é fácil fazer cinema? Um caminhão inteiro para a Canon EOS 5...
Fonte: Menos que Nada
Para o uso cinematográfico a EOS 5D precisou de vários acessórios.
Fonte: Menos que Nada
A câmera fotográfica e acessórios em ação, à esquerda da imagem. Fonte: Menos que Nada
A EOS 5D ficou irreconhecível com tantos acessórios. Fonte: Menos que Nada
Afirma Gerbase que escolheu um fotógrafo como câmera e diretor de fotografia pois é necessário alguém com intimidade e conhecimento da tecnologia e do equipamento para que dele se extraia o máximo dos seus recursos.

Não bastasse todos estes recursos, a produção do filme valeu-se também de um sofisticado quadricóptero controlado remotamente e combinado com uma câmera digital extra-compacta e com lente grande angular do tipo GoPro na função de filmar. Confira abaixo:

O quadricóptero comandado por controle remoto foi utilizado para as tomadas aéreas.
Fonte: Menos que Nada
Fonte: Menos que Nada
Quadricóptero em ação na Lagoa Mirim. Fonte: Menos que Nada
Quadricóptero em ação nas barrancas da Lagoa Mirim/RS. Fonte: Menos que Nada

As filmagens estão sendo feitas especialmente nas paisagens litorâneas do Rio Grande do Sul, junto à Lagoa Mirim no local chamado Capilha (veja aqui a postagem feita sobre o TAIM) e nas dunas e sambaquis de Arroio do Sal.


PARA SABER MAIS:

- Jornal Zero Hora, Porto Alegre, 17/01/2001, Caderno Central, p. 5
- Blog de Carlos Gerbase
- Menos Que Nada - Site oficial


CINEMA DIGITAL:

- Quer aprender a fazer vídeos e cinema com equipamentos digitais? A Escola Câmera Viajante já oferece curso específico para os interessados.

Um comentário:

  1. A idéia de filmar com uma máquina fotográfica é excelente.Pretendo produzir filmes mas ainda estou apredendo.Queria saber quais os acessórios que foram usados sobre a máquina.Estou super curioso e cada vez mais fascinado por cinema.Me ajudem por favor.Valeu!

    ResponderExcluir